O Santo Guerreiro contra o Dragão da Maldade






28 nov. 2000



Assunto: "esquerda democrática"????

Gostaria de saber se algum dos idealizadores do site já estudou ou pelo menos tem noções mínimas de lógica. Sabem o que significa uma contradição em termos? É quando dois termos tem significação não contrária, mas contraditória, como por exemplo, "claro" e "não-claro" (termos contrários seriam "claro" e "escuro", pois não se negam mutuamente, uma vez que no seu percurso existe o intermediário, no caso, a "penumbra"), ou então, "esquerdismo" e "democracia". A democracia pressupõe liberdade de pensamento, e liberdade de expressar essas idéias. Gostaria de saber qual regime socialista ou comunista já protegeu essas liberdades, até hoje. Desafio vcs a me indicarem um só que seja. A não ser que "democracia" para vcs signifique redistribuição forçada da riqueza, i.e., igualitarismo totalitário. Como já disse uma vez, Bertrand de Jouvenel, tal redistribuição significa muito mais um deslocamento do poder de muitos para pouquíssimos do que uma verdadeira redistribuição de riqueza. Essa, meus amigos, só acontece com liberdade de ação humana, que só acontece num ambiente de livre mercado, coisa que esquerdistas jamais tiveram a capacidade intelectual para compreender.
Parafraseando Olavo de Carvalho, pergunto a vcs: Qual o detergente que utilizam para limpar o seu ideal dos respingos de sangue oriundos da morte de mais de 100 milhões de indivíduos?

Cristiano Carvalho


Resposta do editor

Assunto: Interlocutor errado

Caro Cristiano Carvalho,

Agradeço a lição de lógica, que, mesmo sem pedir, acabei recebendo. É auto-evidente que, por esta mesma lógica, não sou um seu interlocutor adequado: por ser de esquerda e por acreditar na democracia como valor universal, devo me considerar, automaticamente, um incapacitado intelectual e um assassino de cem milhões de pessoas - ou, quem sabe, numa hipótese mais caridosa, "apenas" um cúmplice destas cem milhões de mortes. Não consigo entender, portanto, nem mesmo a razão de sua msg. (Claro, há sempre o fator "incapacidade mental".)
A contabilidade macabra destes milhões de mortos decorre, sem dúvida, destes tais "livros negros" que andam por aí; e, por sinal, o livro negro do capitalismo continua sendo escrito e reescrito, cotidianamente, agora em escala planetária, com todo o respeito a Jouvenel e à apologia do "livre mercado".
Grandes adversários e homens de pensamento, como José Guilherme Merquior ou Norberto Bobbio, são desafiadores e estimulantes, em sua erudição e elegância. Não é o caso, decididamente, de Olavo de Carvalho, que parece um daqueles japoneses que, muitos anos depois de 1945, escondidos em alguma caverna, continuavam a lutar a segunda guerra. Há um elemento cômico neste comportamento pateta.
Não devo mais tomar o seu tempo indevidamente. Certamente, mesmo na esquerda (que é um fenômeno tb plural e diversificado), haverá interlocutores do tempo da Guerra Fria. São os que vc deve procurar, para mútuo prazer e gozo.

Cordialmente,

Luiz Sérgio Henriques