A Sala Alexandre Robatto, da Fundação Cultural do Estado da Bahia, exibiu entre 24 e 28 de fevereiro de 1999 o vídeo-ensaio Nova Iorque e o mistério de Nápoles: viagem ao mundo de Gramsci, dirigido por Giorgio Baratta e dedicado a Gianni Amico. Realizado em 1994, com duração de 50 minutos, o vídeo tem narração do dramaturgo Dario Fo. Com legendas em espanhol, a sessão de estréia contou com a presença do diretor. A exibição do vídeo-ensaio foi uma promoção da Diretoria de Imagem e Som da Fundação Cultural, da International Gramsci Society e de *Gramsci e o Brasil*.

A viagem ao mundo de Gramsci, segundo G. Baratta

"Na primeira etapa da viagem ao mundo grande e terrível, e complicado, Dario Fo desvenda em seu próprio trabalho teatral alguns motivos que operavam também em Gramsci e ilustra o espírito popular criativo que Gramsci descobriu na teatralidade vivida do povo do Sul.
Dirigindo-nos ao novo continente, deparamos com o americanismo e fordismo, reinterpretados por Gramsci à luz da metáfora do trabalhador como gorila amestrado, lembrando os Tempos modernos, de Chaplin. Hoje - afirma Dario Fo -, a televisão americanizada planetária cria, mais precisamente, um coelho amestrado.
Na 'Igreja do Senhor', no Brooklin, dois assistentes negros de Jesse Jackson pregam contra Reagan em nome de Gramsci, em 1987. Uma cerimônia religiosa - animada por spirituals de grande intensidade emotiva - transforma-se num happening político.
Voltamos à Itália e visitamos Nápoles, cujo mistério - afirma Gramsci, citando Goethe - é emblemático de todos os países subdesenvolvidos do mundo. Como é possível que a industriosidade e a vitalidade dessas populações não consiga gerar uma sociedade produtiva?
Eduardo de Filippo, Edward Said, Cornel West, Dario Fo e... nós tentamos transportar o mesmo problema de um século para o outro."

____________________

Dario Fo, Prêmio Nobel de Literatura (1997), dramaturgo e ator, é seguidor da tradição da Commedia dell'Arte.
Gianni Amico (1933-1990), cineasta, realizou filmes de ficção, como Tropici, e filmes-ensaios sobre o Brasil e a música brasileira, sobre temas sociais, políticos e artísticos. Com Giorgio Baratta, realizou Gramsci, l'ho visto così. Participou de roteiros de filmes como Vento Leste, de Jean-Luc Godard, O Leão de Sete Cabeças, de Glauber Rocha, e Antes da Revolução, de Bernardo Bertolucci.
Giorgio Baratta, filósofo, tem estudos publicados sobre Leonardo da Vinci, Hölderlin, Marx, Sartre, Gramsci. É vice-presidente da International Gramsci Society - IGS.