Sob a coordenação da prof. Josefa Batista Lopes, do Departamento de Serviço Social e do Mestrado em Políticas Públicas da Universidade Federal do Maranhão, e no âmbito da Comissão Científica composta pelas professoras Franci Gomes Cardoso, Beatriz Saboia e Marina Maciel Abreu, acontecerá entre 18 e 22 de outubro de 1999 um conjunto de iniciativas intitulado "O pensamento de Gramsci na contemporaneidade".

Pela importância que a iniciativa adquire nos estudos gramscianos brasileiros, reproduzimos a justificativa, os objetivos e outras informações relevantes.

1. Justificativa

Nascido a 22 de janeiro de 1891, em Ales, Cagliari -- Sardenha, no sul da Itália, Antonio Gramsci é reconhecidamente em todo o mundo um dos maiores pensadores do século vinte.

A obra de Gramsci é produto da reflexão sistemática e constante sobre o movimento social de sua época, bem como de sua intervenção como ator político. Preso em 8 de novembro de 1926 pelo governo fascista de Mussolini, produz então aquela que é considerada sua principal obra: Cadernos do cárcere, publicados inicialmente segundo uma organização temática, traduzida, em parte, no Brasil. Hoje, no entanto, conta-se com uma versão (ainda não traduzida) na qual os Cadernos do Cárcere são publicados de acordo com a ordem de redação, resultado de um trabalho cuidadoso coordenado por Valentino Gerratana (Roma, Einaudi, 1975).

A influência do pensamento de Gramsci em seu tempo e depois de sua morte é um fato demonstrável através de sua presença em pesquisas, ações políticas concretas e debates sobre o pensamento e a prática social, com alguma forma de expressão em diferentes partes do mundo. Em decorrência, tornou-se comum algum tipo de manifestação por ocasião do aniversário de sua morte, ocorrida em 27 de abril de 1937, aos 46 anos (1891-1937).

No Maranhão não se tem uma dimensão exata dessa influência, dada a ausência de pesquisas sistemáticas. Todavia, pode-se afirmar, sem medo de errar, que ela é bastante significativa, destacando-se, particularmente, o Curso de Serviço Social e o Curso de Educação da Universidade Federal do Maranhão, onde se encontra a presença marcante do pensamento de Gramsci em produções teóricas de professores e alunos, pesquisas, ensino de disciplinas, grupos de estudo, etc.

No Grupo de Estudos, Pesquisas e Debates sobre Serviço Social e Movimentos Sociais do Departamento de Serviço Social e do Mestrado de Políticas Públicas, o pensamento de Gramsci é, se não uma linha de pesquisa explícita, um aspecto essencial da linha de pesquisa definida como fundamentos teóricos e históricos-metodológicos.

Na América Latina e no Brasil, a influência do pensamento de Gramsci entrou com força no pensamento e na prática social e, em conseqüência, nas profissões, a partir do final da década de 60. Mas é na década de 70 que aquela influência se acentua com a tradução de suas obras e o aprofundamento de sua penetração na Igreja Católica (por via da Teologia da Libertação), nos sindicatos, nos partidos políticos, nas universidades, etc.

A complexidade do pensamento de Gramsci, as constantes polêmicas que ele tem inspirado e animado colocam um desafio permanente para todos os que por ele se interessam e o têm como referência no modo de pensar e de agir.

2. Objetivos

           2.1 Geral: criar no Maranhão um espaço sistemático -- anual, por ocasião das comemorações do aniversário da morte de Gramsci -- para intercâmbio e difusão das interpretações e críticas sobre seu pensamento e repercussões na prática social.

           2.2 Específicos: criar mecanismos de ampliação do processo de pesquisa e análise crítica do pensamento de Antonio Gramsci desenvolvidos no Brasil; analisar o pensamento de Gramsci para o estudo dos temas do internacionalismo e da questão nacional; avaliar americanismo, fordismo e o processo de organização/desestruturação do trabalho no capitalismo deste fim de século; analisar criticamente os conceitos de classes sociais, Estado, sociedade civil, hegemonia e revolução no pensamento de Gramsci e sua atualidade hoje; analisar a influência de Gramsci no pensamento e na prática social e, em particular, nas profissões -- Serviço Social, Educação, Política e Filosofia.

3. Desenvolvimento do evento

A coordenação do evento oferecerá o curso Gramsci, Marx e Hegel: classes sociais, Estado e revolução, a cargo do prof. Domenico Losurdo, da Universidade de Urbino na Itália, com duração de 30 horas e 30 vagas disponíveis. Tradução simultânea do italiano. Está aberta a possibilidade de outros cursos, dependendo da iniciativa das demais áreas da Universidade.

Serão ainda realizadas três mesas coordenadas, definidas e organizadas pela comissão organizadora, sobre os seguintes temas:

           - Transformação do capitalismo e organização dos trabalhadores (exposições de Domenico Losurdo, Ricardo Antunes, Josefa Batista Lopes);
           - Classes sociais, hegemonia, Estado e revolução (exposições de Domenico Losurdo, Edmundo Dias, Flávio Bezerra de Farias);
           - Ideologia, intelectuais e organização da cultura (exposições de Sonia Regina de Mendonça, Antônio Carlos Máximo, Maria da Conceição Brenha Raposo);
           - A influência de Gramsci no Brasil, no pensamento, na prática social e nas profissões (exposições de Carlos Nelson Coutinho, Franci Gomes Cardoso, Beatriz Sabóia).

As exposições das mesas coordenadas serão reunidas em livro. Com vistas à publicação, os autores devem enviar à coordenação do evento cópias dos textos em papel e em disquete. Os textos devem conter no mínimo 6 e no máximo 15 laudas e obedecer à mesma formatação recomendada para Comunicação Oral.

A seção de Comunicação Oral é dedicada à apresentação de trabalhos sobre temas relevantes no pensamento de Gramsci que sejam encaminhados até 15 de setembro à comissão organizadora e que forem aceitos após avaliação. Os referidos trabalhos comporão uma publicação específica. Com vistas à avaliação e publicação, os autores devem enviar à coordenação do evento cópias dos textos em papel e em disquete, contendo no mínimo 6 e no máximo 8 laudas com o seguinte formato: abaixo do título colocar o nome ou nomes do autor ou autores e a instituição de origem; digitação em papel carta; fonte n. 11; 1,5 de entrelinha; as notas devem constar no rodapé e na bibliografia devem constar apenas os textos fundamentais.

4. Promoção

Grupo de Estudos, Pesquisas e Debates em Serviço Social e Movimentos Sociais do Departamento de Serviço Social e do Mestrado em Políticas Públicas da UFMA

5. Apoio

CNPq, Pró-Reitorias da UFMA, Departamentos e Cursos Acadêmicos e Grupos de Estudos da UFMA, Embaixada da Itália (Brasília), Consulado Geral Norte-Nordeste (Recife), Agência Consular da Itália (São Luís).

6. Outras informações

Mestrado em Políticas Públicas
Campus Universitário da Universidade Federal do Maranhão
Avenida dos Portugueses, s/n - Campus do Bacanga
65085-580 São Luís - Maranhão

Tel. (098)217-8455/Fax (098)217-8454.

E-mail: Josefa Batista Lopes - jblopes@hcg.com.br